segunda-feira, 30 de junho de 2008

Roma

Tenho visto agora alguns episódios da excelente série "Roma" que passa nas noites da RTP2. Lembra-me das minhas férias do ano passado e a visita a edifícios e espaços da antiga Roma. Para quem como eu gosta de ver alguns espaços da época romana em Portugal, em Roma é como se fôssemos visitar a fábrica de onde saiu tudo.
O pior vem quando nos fartamos de ver imensos artefactos. São mais umas termas, um pedaço de um teatro... Mas vale a pena e tem de ser visitas com a mente aberta de modo a apreciar as coisas simples.
Com o calor de verão vale a pena visitar locais que estejam à sombra ou debaixo da terra. E apreciar as belas praças à noite.
Os turistas são um rebanho de carneiros. Quando visitava estas ruínas de manhã, todos estavam a tentar visitar o Coliseu. De manhã vai tudo ao principal. Há que visitar os locais mais simples e sossegados e deixar o Coliseu para o final da tarde, quando faz menos calor e está muito menos gente. Porque procuram todos ir directamente ao clímax do espectáculo. Depois de ver o Coliseu tudo o resto vai parecer mais pequeno e insignificante. Por isso, há que deixar o melhor para o fim e fugir dos "rebanhos".
Recomendo uma visita às Catacumbas da Via Apia (frescas e excelentes para as tardes quentes) e depois visitar o Vaticano. Ver como se deu o desenvolvimento da religião cristã, desde as primeiras missas a 30m de profundidade até à maior basílica do mundo. Outro aviso - observem mais com os olhos e não através de uma lente da máquina digital.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Em Julho no Barreiro...


Viajar em 2008 num 2cv!

Estava a ler hoje, no semanário SEXTA, sobre a aventura de um português de 27 anos que está a fazer a viagem Porto-Beijing num Citröen 2 CV. Neste momento está em são Petersburgo com cerca de 9.000 km feitos.
Tiago Moreira Alves está a fazer a viagem de uma vida. Ainda por cima num carro que já tem uns anos, mas que não se vira nas curvas apertadas. Vi outro dia, um vídeo de uns testes para ver se o 2CV se virava. Mito? Comprovaram que não se vira, devido ao sistema de suspensão. Apenas se virou quando o fizeram a andar para trás. O peso do motor fez o carro virar logo.
Acho que foi uma excelente escolha para uma viagem destas. Melhor preparado que qualquer um dos carros de cidade que existem hoje.
No site (http://www.2cvportobeijing.com/) está o diário e as fotos. Ele procurou fazer um projecto que também apoia o Movimento Para olímpico. As fotos são vendidas em postais e uma parte da venda vai ajudar este movimento.
As viagens hoje são tão rápidas de avião que nos esquecemos de sentir as diferenças ao passar pelos países, a mudança da geografia, da língua, das pessoas que se encontram pelo caminho. São viagens inesquecíveis em carros carismáticos e que são também eles personagens das histórias vividas nessas viagens. Boa viagem e um grande apoio a projectos como este!

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Viagens dos anos 80...

Lembrei-me outro dia de uma viagem que fiz ao Norte há uns anos atrás. Ainda era miúdo e viajei com a família num Fiat 127 de um tio meu.
Na altura, as viagens ao Norte era feitas pela N1, o que levava um dia inteiro a chegar. Os camiões pelo caminho, atravessar a cidade de Coimbra, passar no Porto, em Lamego ou por outras cidades, dava um maior interesse à viagem.
Comprava-se fruta nas estradas com o quintal ao pé e puxava-se bastantes vezes do mapa para a orientação nas localidades do interior. Era uma aventura!
Ouviam-se cassetes gravadas vezes sem conta, parava-se para comer umas sandes no campo e bebia-se a água de fontes à beira da estrada.
Eram viagens muito desconfortáveis, longas e com demasiado peso. Com tão grande distância, era necessário carregar com mais bagagem, pois eram mais os dias de estadia para compensar tão longa viagem. Com malas e sacos entre as pernas e ao colo.
O mapa das estradas está hoje totalmente diferente. Hoje, ninguém pede para trazer as alheiras de Mirandela, o presunto de Chaves, os ovos moles de Aveiro. Deixámos de dar tanto significado a essas pequenas coisas.
Mas, aquela viagem que vi através do vidro daquele pequeno carro era um mundo de sensações com paisagens diferentes e maiores diferenças entres as gentes das diversas regiões. Sem multibancos e telemóveis, as férias eram dignas de um livro de viagens.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Passeios...

Nestes dias quentes, há que aproveitar alguns dos espaços que existem para espairecer um pouco da rotina. É muito agradável e também saudável um passeio, uma corridinha (para quem pode) aos parques, à praia...
Nestes dias evito espaços fechados comerciais e recarrego as energias ao sol, com os cheiros do campo, com os sons suaves.
Recomendo uma ida ao Estádio Universitário por onde passei ontem. Espaço muito agradável e um grande estímulo para praticar desporto.
Ver atletas que aprendem a jogar ténis, trabalham a época desportiva do atletismo, fazem exercício à volta do estádio principal. É muito saudável fazer exercício e ainda melhor com mais pessoas.
Comecem a pensar no desporto que irão começar no final das férias para estarem em forma e saudáveis no próximo Verão. Emagrecer à pressa agora é tão stressante como um trabalho mal organizado. Há que o fazer com todo o corpo... e em especial com cabeça!

Emagrecer com o Verão à porta.

Li uma notícia no DN sobre a apreensão de uma quantidade de cápsulas com derivados da anfetamina para redução do apetite e emagrecimento. Todos os anos quando chegam os meses da Primavera, é uma subida no número de "desportistas".
Um dos objectivos que alguns definem na passagem de ano, outros que o deixam avançar até começarem a ver a banha a saír da roupa do verão anterior, deveria ser pensada no Outono anterior. São cerca de 9 meses para programar uma alimentação equilibrada e diversificada e uma constante desportiva de pelo menos 3 vezes por semana.
Mas, cá estamos nos meses de maio e Junho e surge a "corrida" ao ginásio e a produtos para perder peso.
Outro dia, fui almoçar a um centro comercial e a fila maior situava-se junto do balcão do "Vitaminas". Não é o único que vende saladas e comida saudável, mas é o que chama mais a atenção para esse tipo de comida. Como o estômago é de hábitos, deve haver muita gente a passar fome e a salivar pela comida que agora está a proibir ao estômago.
Não falando dos anúncios às águas com CLA, iogurtes light, cereais... Curioso que são sempre as mulheres o alvo dessa publicidade. Os homens não engordam? Ou não ligam a isso? Para quando um anúncio de cereais com um tipo aos saltos contente por conseguir fechar o botão das calças?

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Anatomia no pincel?

Achei curiosa a notícia que saíu no DN sobre as imagens do corpo humano escondidas por grandes pintores da Renascença. A imagem ao lado que encontrei no blogue http://streetanatomy.com/blog/2008/01/22/hidden-brain-imaging-in-renaissance-masterpieces/ mostra como o pintor usou a imagem de uma parte do cérebro para a usar na sua pintura e no simbolismo do objecto pintado.
Dizem uns, que era uma forma dos pintores divulgarem novos conhecimentos científicos, que a Igreja não admitia como verdadeiros.
Verdade ou não, são como jogos, as pesquisas que se fazem procurando mensagens escondidas. Não sei até que ponto o conhecimento estaria na altura, avançado o suficiente para colocarem imagens que apenas vemos no Raio-X ou porque razão iríam colocar um cérebro num quadro.
O certo é que são curiosidades destas que fazem vender livros, discutir em blogues e acentuar ainda mais a moda dos livros tipo código Da Vinci.
Sei que nalguns quadros mais modernos, tenho a impressão de ver neles o mapa das estradas de alguns países, mas isso é apenas uma opinião. Será que além do cérebro, irão encontrar imagens de genitais escondidos, pois os das figuras eram sempre tapados com panos. Será o próximo passo...

Fiolhal

Foi aqui, nesta bela paisagem, que estive no fim-de-semana passado. Fiolhal é o nome da aldeia em primeiro plano. Ao fundo corre o rio Tua antes de desaguar no Douro. Não sei quantos anos irá permanecer esta imagem. As obras para uma futura barragem estarão para começar.

Fica a imagem deste vale lindíssimo.

Timming!!

Falava eu, ontem do livro sobre a reportagem do Miguel Sousa Tavares e curiosamente apanho essa mesma reportagem na RTP Memória.
Ontem à noite por volta das 23h passava nesse canal a reportagem sobre a luta da Frente Polisário, que iria ser mais tarde passada a livro.
Coincidência???

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Encontrei o livro...

Todos nós temos livros que mantemos na memória para uma possível compra. Quando passo nas livrarias vejo livros interessantes, mas cujo o preço não é muito aliciante ou não é urgente o comprar naquele momento. Assim, vamos ficando com eles na "lista de compras".

No Sábado passado, fui almoçar com família a Vila Real. À tarde, um pequeno passeio pelo centro da cidade. Uma feira de antiguidades estava na praça principal. Gosto sempre de passear os olhos pelas curiosidades e principalmente por livros que são antigos ou que se encontram esgotados. E foi um livro esgotado que fui encontrar no meio dos outros.
Gosto de ler as crónicas do Miguel Sousa Tavares no "Expresso" e já li alguns livros dele. Especialmente, o livro "Sul - Viagens", cujas reportagens me marcaram. Longe vão os tempos, em que lia reportagens de grande qualidade na excelente revista "Grande Reportagem".

Ora, naquela banca de livros no centro de Vila Real, fui descobrir um pequeno livro de reportagens do José Manuel Barata Feyo e do Miguel Sousa Tavares. O Livro "Sahara, a República da Areia" que procurava há alguns anos. Trata-se de um livro de 1985, com relatos da viagem ao Sahara e com fotos da reportagem.
Um dos livros mais antigos da minha "lista de compras" foi encontrado e pude-o comprar. Não em Lisboa ou arredores, mas em Vila Real. O passeio soube ainda melhor.

Sabe-se lá que preciosidades correm pelas nossas feiras de Norte a Sul do país. Objectos guardados anos e anos em sótãos e garagens e que de repente vêm a luz.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

prioridades

Escrevo este texto alguns minutos depois de Portugal ter ganho à República Checa no Europeu de Futebol. Depois de ter visto dezenas de carros à espera na estações de serviço, por uns litros de combustível, oiço agora os carros que passam a buzinar de lado para o outro, satisfeitos por mais uma vitória da nossa selecção.
É curioso como a escassez de combustível passa para segundo plano. Logo à noite o Marquês de Pombal estará cheio de carros a buzinar e de pessoas a gritar de alegria.
Nada como uma vitória para tirar a cabeça da crise e passar para o pensamento essa alegria.
Conforme o momento assim estabelecemos as nossas prioridades. O combustível está caro, mas se houver pouco, paga-se o preço que tiver de ser, para podermos continuar as nossas deslocações. Nem que seja para andar de um lado para o outro a buzinar pela selecção.
A continuar a situação, no domingo sai tudo a pé ou de bicicleta pelas ruas a comemorar a nossa quase certa passagem aos quartos-de-final, já que as ruas estarão sem carros...

Visita inesperada...

Na segunda passada, enquanto lia um jornal na sala, reparo num par de asas na minha varanda. Quando olhei vi que era um daqueles pássaros de gaiola. Deve ter fugido de alguém.
O pássaro era todo verde com o peito amarelo e gostou do meu estendal da roupa. Observei-o de dentro enquanto ele andava ao longo do pequeno varão. Não abri a porta da varanda.

Mais tarde, enquanto estava ao computador, começou a chilrear. E fazia-o muito bem. Voltei à porta da varanda para o ver. Parecia satisfeito.
E agora, saio ou fico a vê-lo de dentro. Pensei que abrindo a porta, ele pudesse fugir,mas se saísse, o que iria fazer?
Foi uma visita inesperada e quase como um sinal da chegada da primavera ou do calor. Sempre é mais fiável que as andorinhas que andam desorientadas com as mudanças do clima.
E lá estava ele a chilrear. Saio ou não saio? Fui buscar a máquina fotográfica para registar o momento e poder provar a minha história, contando-a a outras pessoas.
São coisas que podem acontecer, mas é sempre ouvida com caras de sorriso de lado, quando contadas. Mas esta aconteceu.

Decidi abrir a porta ao de leve e sair para a varanda. Mal ouviu o primeiro som da porta a deslizar, sumiu-se para a rua. Só lhe vi as asas abertas na rua. Desapareceu. Aparecerá na varanda de outra pessoa que também achará o facto estranho.
E bem bonito que era o passarinho.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

bicicletas na linha

Ciclo-rail... Uma proposta apresentada em Estremoz para aproveitar as linhas que existem no Alentejo. Acabaram com os comboios na região e agora colocam estes projectos para aproveitar as linhas que estão lá e quem sabe "semear" alguns projectos turísticos.
Há os que retiram as linhas e fazem ciclovias, mas esta proposta sai muito mais barata. Necessita apenas de uma plataforma para colocar duas btt's. A diferença é a impossibilidade de haver ultrapassagens.
Se dois casais se cruzam na linha, um deles terá de tirar a plataforma da linha. Mas isso não será difícil, pois pesa apenas 50kg.
Com o custo dos combustíveis, isto ainda terá sucesso.
Recomendo, pois existem estações no Alentejo que são lindíssimas e a paisagem também.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

homenzinhos verdes

Vi uma imagem de um vídeo filmado por um americano, Jeff Peckman, que diz ter filmado um E.T. através da janela.
Os especialistas ainda se encontram a analisar o pedaço de filme, para ver se é verdadeiro. Já correm na Net imitações que dizem serem as verdadeiras provas de um homenzinho que espreita para dentro de uma casa e vai-se embora.

Os extraterrestres são sempre parecidos com os dos filmes. Temos sempre o azar de nunca os vermos muito bem. Com tantas câmeras, telemóveis e videovigilância não conseguimos apanhar uma boa imagem e se a apanhamos, parecem sempre bonecos ou pessoas mascaradas.
Já há tanta fantasia à volta do assunto que não sei que provas teremos que ter para que todos acreditemos que existe vida fora deste planeta.

Fora da nossa janela, existem tantas histórias que podemos não acreditar nelas, mas o fantástico está no modo como as contamos, as imagens e o sons que não ajudam a dissipar dúvidas.
Há que as contar...