quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Mais uns traços...

Mais uns traços de uma conversa que vi junto ao bar na viagem de barco para casa. Escolho um lugar confortável, procuro um motivo para desenhar e depois é ao sabor da ondulação do rio.
Junto ao bar há sempre mais animação e por isso um desafio para apanhar os momentos. A viagem torna-se agradável e não a sinto como rotina, pois são estas as ocasiões para descontração e treino.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Falhanço sem explicação!

A parte psicológica voltou a vencer a física. A saltadora russa Yelena Isinbayeva, campeã do mundo e olímpica, detentora do record do salto à vara, falhou todos os saltos da prova de ontem. Ela bem chorava e tentava perceber o que havia falhado. Dizia que se sentia a 100% na forma física e mesmo assim o falhanço aconteceu.
Fez-me lembrar a prova da Naide Gomes nas Olimpíadas de 2008. Também não havia conseguido saltar sem pisar no sítio certo, na prova de salto em comprimento.
Os resultados só se conseguem com a conciliação de 2 factores, físico e psicológico. Em menor escala também sinto essa diferença nas minhas idas para o ginásio. Há dias que parece que a força e a velocidade ficaram em casa, noutros dias é o contrário. Tem tudo a ver com a cabeça. Uma cabeça a 100% transforma-nos em superherois e conseguimos maiores proezas, à nossa escala, claro.
O maior desafio para a atleta russa será o de ultrapassar este problemas. Os próximos saltos terão de sair melhor de modo a ganhar a confiança. Sem confiança, toda a técnica ficará desajeitada e vai parecer que nem correr bem consegue.
Já o Fernando Mamede ficava com as pernas presas nas provas mais importantes. A pressão psicológica é como um Adamastor na cabeça de um atleta. Sentir milhões a verem cada movimento que o atleta faz.
No domingo vi a prova dos 100m com uma excelente prova de Usain Bolt e aqueles minutos antes da prova eram um desafio aos nervos dos atletas. Não paravam quietos. Anos de trabalho decididos em menos de 10 segundos. É muita pressão para uma pessoa normal. Eles... eles são super-atletas!
Notícia no Público.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Dias de praia 2

Mais uns desenhos. Gostei muito de desenhar a rapariga de cima que observava o namorado a surfar.
A mulher em baixo serviu para treinar as sombras. Acho que carrego demasiado na caneta. É como acertar as patilhas, cortamos sempre mais um pouco do lado direito. O mais difícil é captar a ondulação da toalha e da areia, mas é um bom desafio.
A mulher no topo, foi uma espécie de caricatura de uma personagem que passava junto à água com o colchão de ar debaixo do braço. O penteado também era diferente do normal.
Estava uma tarde de calor que saboreei até à hora do jantar. A melhor hora, quando as famílias vão saindo e fica aquele céu laranja.

Dias de praia 1

Voltei de férias na semana de maior calor. Tem sido uns dias fantásticos. Especialmente, as noites quentes.
Na praia fui desenhando algumas vezes, as pessoas que dormitavam ao pé de mim, que fixavam uma pose e ficavam o tempo suficiente para desenhar.
Aqui apanhei um casal na conversa. Bem juntinhos trocavam impressões sobre um estranho grupo que estava ao lado deles. É sempre propício a conversas intímas com os olhares bem perto um do outro.