quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Conteúdos

A velocidade que a informação assume hoje em dia, deixa-nos exaustos e desorientados. Temos acesso a um pouco de tudo o que se passa e a dificuldade em digerir é maior. Ainda se torna mais difícil discutir os "assuntos do dia" com alguém.


Ainda agora assistia a um debate sobre a situação da Líbia na SIC notícias e lembrei-me que nestes últimos dias já vimos um sismo na Nova Zelândia (imagens chocantes), um homícido de um advogado (incrível como passou na televisão) ou as revoltas na Tunísia e no Egipto. Qualquer um vai pensar que o Mundo enloqueceu, mas trata-se afinal de uma enchente de notícias.
Nos jornais on-line, montes de anónimos opinam sobre tudo, na televisão temos comentadores, debates, especial informação, grandes reportagens todos os dias... Uff. Há que descansar a cabeça e saber filtrar os conteúdos. Merecemos momentos de cabeça vazia para racicionar tudo o que vemos, ouvimos e lemos.

Vi outro dia uma reportagem sobre tecnologias das novas "tabletes". Percebo que há grande ânsia para novos meios de comunicação, mas conseguiremos digerir todas as aplicações, livros, jornais, revistas, imagens e demais conteúdos?
Aproveito as pausas das viagens para observar, ouvir e desenhar o que se passa à volta. Precisamos de momentos de relaxamento mental.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

11 de Fevereiro

Na passada sexta-feira, pudémos assistir a um "25 de Abril" no Egipto. Após 18 dias de protestos, o presidente Mubarak resignou e providenciou uma abertura democrática em 30 anos de poder.
Foi muito interessante acompanhar a emoção das pessoas que estiveram na Praça Tahrir e saborearam um pouco da utopia. Já sabemos que muita coisa se processa nos bastidores da diplomacia, mas é poético ver como uma multidão reage em união.
As televisões buscam essa emoção e os telespectadores querem ver isso como num filme. Quanto mais longe os países, mais bonitas se tornam as cenas. É mais preocupante quando se trata de um país vizinho.


Infelizmente esta emoção de estar a viver uma utopia dura pouco tempo. Depois é voltar à realidade, às perseguições de quem estava a favor do governo, de próximos governos fracos e muitas reacções. Mas vale a pena mudar um pouco. Novas ideias, novas formas de governo.

Por cá, tivémos uma semana de greves e na sexta tive de me socorrer dos barcos do Seixal. Foi um passeio diferente e voltei aos desenhos. Este desenho é anterior e suspeito que a rapariga deu conta que estava a ser desenhada. A pose dela era um pouco estudada.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Exposição Urban Sketchers "Na Rua Augusta"

Ontem foi a inauguração da exposição de desenhos do X encontro dos Urban Sketchers Portugal, na galeria da Faculdade de Belas Artes. Os desenhos são das fachadas dos prédios da Rua Augusta e foram expostos como se estivéssemos na dita rua.
Além dos desenhos, estão em exposição alguns dos diários-gráficos dos participantes no encontro de Setembro passado. A organização é do Mário Linhares. Até 18 de Fevereiro.




Fotos da Vânia.