terça-feira, 26 de julho de 2011

Encontro no Terreiro do Paço

Terminou da melhor maneira em jeito de festa, o 2º Symposium Urban Sketchers em Lisboa. No sábado juntaram-se cerca de 200 pessoas para desenhar no Terreiro do Paço. Adorei o encontro. Nunca pensei ver tantos a desenharem espalhados do lado do pátio da galé. Turistas e lisboetas curiosos olhavam, perguntavam, fotografavam. O que é isso dos Urban Sketchers?


Algumas reportagens que passaram na televisão faziam um retrato deste movimento e explicaram o significado de "Urban Sketchers". Mostraram que Lisboa é excelente para o desenho e que é opinião unânime de quem nos visitou para a desenhar.
Desenhei as pessoas, vi alguns dos desenhos que se foram fazendo, as técnicas, a atitude de cada um para preencher uma folha em branco com a sua própria visão da cidade. Adorei mesmo. Espero que tenha motivado alguns dos que passaram e mostravam interesse em também experimentar.

Reportagens da aqui, aqui, aqui e acolá. Reportagens retiradas daqui.
Também no Youtube.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

O symposium UsK na imprensa

Já vão surgindo ecos na imprensa (gosto da expressão) do II Symposium Usk em Lisboa.
Já vi algumas fotos e está de apetecer dar lá uma saltada. Ver o pessoal a desenhar esta linda cidade e a confraternizar.
Mas no sábado estou lá para o Sketchcrawl no Terreiro do Paço. Esperam-se cerca de 300 pessoas e muitas nacionalidades.

Site do jornal Metro

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Está quase...


É já amanhã que começa o grande encontro em Lisboa. Infelizmente só vou poder ir ao Sketchcrawl no sábado, mas terei a oportunidade de conhecer Urban Sketchers de todo o mundo. E em Lisboa. Realmente uma cidade que já merecia um encontro assim.

Site oficial: http://symposium.urbansketchers.org/
Desenho do Lapin e lettering do Mário Linhares.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Pensamentos a 25º com vento

Devem ter descido o rating ao mês de Julho. Há muito que não via um mês de verão com tão baixas temperaturas e frio à noite. Até parece de propósito. O negócio está mau para as esplanadas e bom para o chá e torradas. Agosto vai ser diferente. É sempre diferente.


Tenho visto com alegria o final do "Peso pesado". Há ali muito esforço compensado com melhoria da qualidade de vida e alterações físicas evidentes. Tirando o facto de ser um jogo, observo que um estágio como aquele funciona muito bem e os resultados estão à vista. Mas saíndo da quinta, como será ao voltar à rotina diária, a alimentação e o exercício? Ali é como se fosse uma escola e para o futuro está na cabeça de cada um. Provavelmente alguns voltarão a engordar um pouco, mas a lição está ali. É preciso esforço e trabalho para alcançar os objectivos. Assim, teremos nós de fazer para "emagrecer" a dívida do país. O problema também se coloca que não temos todos o mesmo "peso". Tudo para a passadeira!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Colagem Ipsílon


No sábado passado, enquanto lia o suplemento do Público "Ipsílon", reparei que ando mesmo afastado do mundo da música. Com a temporada de festivais de verão, nomes que passam na publicidade e que muito poucos conheço. Achei piada às fotos desses grupos nos artigos do jornal. A postura, as caras, as expressões.

Lembrei-me de fazer um apanhado de quase todas as caras e personagens que encontrei o suplemento e resolvi fazer uma colagem. Mais de metade não os conheço e não coloquei os mais conhecidos no papel. Gostei do conjunto e ocupou-me o tempo da "siesta" no domingo.
Gosto de ver o esforço dos grupos de músicos a tentarem ter uma postura de grupo que mais ninguém faz igual. E adorei ver as cenas do colectivo de teatro. As expressões fortes em plena cena e que apelavam a alguma criatividade com a tesoura e o tubo de cola.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Não há meio de aquecer o tempo!

Entramos no mês de Julho e continua aquele vento desagradável ao final do dia. Ainda hoje ouvi na rádio que a temperatura máxima em Lisboa era igual à de Estocolmo na Suécia. O verão anda tímido ou com medo de saír à rua com as notícias da actualidade.

Depois do anúncio do corte nas prendas de Natal, agora baixam-nos o rating para "lixo". Não há maneira de motivarem para ver se saímos por cima deste cinzento que nos sobrevoa.

Hoje li uma notícia curiosa, ainda por cima num site chamado boas notícias, e que fala da descoberta de um tesouro de muitos milhões num templo indiano.
Uns cofres na cave do templo que não eram abertos há uns 140 anos e lá dentro tinham cerca de 400 milhões de euros (estimativa). É bom saber que ainda existem tesouros e não só nos livros ou nos filmes. Pode ser que descubram algum por cá, que dava jeito para equilibrar as contas. Até nos subiam os ratings ou  o levavam para pagar dívidas.

Só por curiosidade, o templo hindu chama-se Sree Padmanabhaswamy. Por diversão tentem lê-lo e assim não pensam tanto no verão que está um pouco atrasado.