terça-feira, 24 de julho de 2012

Tall Ships Race em Lisboa

Grande calor se apanhou naquela tarde para ver os veleiros. Gostei da experiência, que puxou muito pela concentração e pelo desgaste físico. Muitas foram as pessoas que espreitavam o caderno, alguns miúdos pediram para ver e até alguns comentários engraçados.


Conseguir desenhar o navio russo MIR, sentado no chão à sombra e sempre com pessoas à espreita. Tive pena de não poder ver o navio alemão (Alexander von Humboldt II) e o Creoula. No primeiro caso esteve sempre fechado e no segundo a fila era enorme.


Mas não queria deixar de desenhar o alemão cujas cores gostei muito. No fim só apetecia uma massagem das que tanto sucesso fizeram na feira pelo Inst. Medicinas Tradicionais.
Gostei muito deste encontro dos Urbans Sketchers Portugal e com o desafio enorme que é desenhar estes belos veleiros.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Reportagem

Hoje ao final de um dia bem quente, vinha do trabalho e dou com um acidente no cruzamento da Rua da Prata, na baixa lisboeta. Tudo parado, trânsito em dificuldade e muito público a assistir.
Felizmente não foi grave, apenas uma porta amachucada. A polícia esteve a controlar o caso e a descongestionar o trânsito.


Mas como é uma rua onde circulam os eléctricos, tiveram de desviar as viaturas para o passeio onde eu desenhava a situação. Curioso que algumas pessoas passavam por mim, olhavam para o acidente e depois para o que fazia no caderno.
Apeteceu-me o desafio de desenhar o mais rápido possível com pormenores e ser o mais discreto que conseguisse. Discreto não passei, que até um turista num segway me perguntou por uma rua. Sem contar com um miúdo que em francês perguntava ao pai o que eu estava a fazer.

Num dia de temperaturas altas, é das situações mais chatas de acontecer e de manter as emoções arrefecidas. Mas pelo que vi não houve problema.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Pequeno-almoço no rio

Todos os dias precisamos de nos maravilhar com o quotidiano e na rotina dos transportes. Até na procura de motivos para desenhar às vezes não é fácil encontrar algo diferente, mas pego nas coisas simples.

Muitas vezes vejo que muitos passageiros tomam o pequeno almoço na viagem de barco para Lisboa. Um pacote de leite ou de sumo e uma sandes. Para muitos é o pouco tempo de manhã em casa e para outros o gosto por saír de casa em jejum e depois comer no caminho ou no café antes de entrar ao trabalho.


Esta rapariga ia bem descontraída a apreciar a paisagem e a beber um pacote de leite.
Muitos acabam por dormir ou vão a ler, mas gostei de a ver a saborear o passeio e a ver o rio. Em tantas viagens, acho que devemos procurar nos surpreender com a beleza de algo simples. A ondulação do rio, os barcos que passam, a paisagem de Lisboa (sempre linda vista do Tejo!) e até aproveitar para desenhar um pouco.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Ao final do dia...

Ao final do dia sabe bem estar em família, ver um pouco de televisão, aproveitar o calor para andar descalço em casa.


A programação da televisão vai repetindo as mesmas fórmulas e tenho aproveitado para rever uns filmes em DVD. Não sei se vale a pena ter uns 100 canais quando o que queremos é aproveitar o tempo para aprender um pouco, brincar com a pequena e relaxar a cabeça com uma boa história.

Aqui aproveitei para desenhar enquanto passava uma nova novela brasileira na SIC. A pequena já dormia depois de ter visto os desenhos animados da pantera cor de rosa. Sabe muito bem ao final de um dia de trabalho.