quinta-feira, 20 de junho de 2013

Festa da Arqueologia 2013


No dia 8 de Junho fui ver a Festa da Arqueologia no Museu do Carmo, Lisboa. Oportunidade para rever o espaço, as exposições e como era a festa que não tive oportunidade de ir em 2012.

Muito divulgação e jogos para os miúdos, achei muito gira e didáctica. Recriações de modos e usos primitivos, fotos de escavações, a arqueologia subaquática e de vários institutos que se dedicam a descobrir um pouco mais sobre a nossa história.



O espaço está bem escolhido para festejar 150 anos da associação dos arqueólogos, cheira a história por todo o lado e ao mesmo tempo estamos dentro de um convento bem diferente dos outros. Sempre presentes as marcas do grande terramoto, que segundo notícia que li hoje poderá repetir-se. Com a descoberta de uma fratura tectónica em formação não nos deixa muito descansados.


Ainda procurei fazer um pequeno desenho do espaço, mas não saíu bem. Achei piada o uso dos marcadores que estavam numa tenda para os miúdos pintarem. Ainda colori o desenho com eles.


terça-feira, 4 de junho de 2013

Feira do Livro de Lisboa

Mantendo a tradição de anos, visitei a 83ª Feira do Livro de Lisboa. Ainda bem que alteraram o período para o final de Maio, princípio de Junho como antes, porque o clima é bem melhor que em Abril. No ano passado ficou bem molhada.
Gosto como a feira se apresenta de ano de para ano, especialmente na ideia que funciona das 4 praças com apresentações e debates, com concertos e actividades ao longo dos dias. Ir à feira ver os livros é apenas um argumento para passar bem um final de tarde. Ainda se consegue fazer uns bons negócios, mas gosto do ambiente descontraído de ver as pessoas, um concerto e comer um gelado ou uma fartura.


Vi um pouco da actuação da Orquestra Geração com miúdos a tocar violinos e violoncelos. Alguns erros, mas conta para aprendizagem e eles tocam bem melhor do que eu.
Já voltei lá outro dia e gastei um pouco na compra de 4 livros de viagens da Tinta da China, uma das minhas editoras favoritas e ainda um novo livro da Quetzal, do escritor Geoff Dyer. Gostei logo do título "Yoga para as pessoas que não estão para fazer Yoga".
Ainda vi uma fila de pessoas à espera de um autógrafo do Miguel Sousa Tavares.
A iniciativa da Sagres é que não dá ao final do dia, fica frio demais para beber o novo refrigerante "Radler" com um pouquinho de cerveja. Já provei e parece sumo.
Até o Continente está presente com uma roulotte vintage a servir refeições e a vender livros no stand "Book it". O domínio vai sendo dos grandes, mas ainda há editoras que vale a pena como a Cotovia ou a Assírio & Alvim. Ainda dá para ir até ao 10 de Junho.