sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Troca de sapatos


Chegamos ao final de Novembro. O cometa ISON está a tentar dar a volta ao sol com toda a expectativa no céu. Aqui na Terra o feriado do 1º de Dezembro já não existe e as decorações de Natal já estão em todas as lojas. 
O frio está a apertar com força este ano e ainda mais cedo do que é normal. Dizem que são massas de ar frio que vêm do Leste da Europa, só se fôr por causa da Ucrânia decidir entre a Rússia ou a União Europeia. De qualquer maneira rápidamente nos adaptamos ao clima. Ontem havia sopa knorr a ser distribuída à entrada da estação fluvial do Terreiro do Paço.

Outro dia reparei numa rapariga que estava a experimentar os sapatos novos na travessia do Tejo e até a caixa deixou ao lado da cadeira. De certeza que foi do frio nos pés. 
Com alguma dificuldade lutou num pequeno espaço entre as cadeiras e captei o momento no diário-gráfico.

E a temperatura vai continuar a descer. 
Um chocolate quente ia muito bem agora.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Cadeiras amarradas e uma Pepsi


Há dias em que encontramos personagens interessantes. Outro dia vinha no barco ao final da tarde, reparei que perto de uma das portas a fila de cadeiras tinha um cabo enrolado para ninguém se sentar. Provavelmente ou chovia em cima dos bancos ou estariam partidos, não fiquei a saber, mas logo surge um casal a falar alto. O homem olhou para o cabo e perguntava para que todos ouvíssemos, o porquê do cabo. Acabou por se sentar na ponta da cadeira. A mulher tinha ido buscar um refrigerante. Curiosamente era uma Pepsi e logo quando a marca estava em polémica por causa de anúncio sobre o Cristiano Ronaldo. A mulher trouxe uma palhinha, mas o homem bebeu pela lata. Mantinha-se sentado a reclamar. Disse à mulher para se sentar ao lado e de lado, porque com um cabo atravessado não deveria ser muito confortável. 
Estive sempre na expectativa de alguém dizer algo sobre a Pepsi, mas ao verem o comportamente alterado do homem de certeza que não era a meio do Tejo que se iria arranjar alguma discussão.
Apanhei o homem em desenho, mas já não consegui a mulher. Desenhei uma rapariga grávida que na fila atrás deliciava-se com um croissant, ouvia música e enviava sms. Personagens que temperam a rotina dos dias e das viagens diárias.
A Pepsi que puxe da criatividade para ultrapassar o mau momento. 

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

The "King" is dead.


O cinema king fechou ontem. Aumento da renda e fecha um espaço de cinema alternativo de Lisboa. Muitos filmes vi naquelas salas, com a passagem na livraria para fazer tempo e comprar algum livro. Tenho pena que este espaço feche assim. Das 3 salas já só funcionavam 2, provavelmente com a queda no número dos espectadores. 
Já não ia lá há uns tempos, mas gostava de sentir aquele cinema como um representante das salas mais antigas, sem as pipocas, com as cadeiras mais pequenas e grandes filmes. Recordo alguns filmes como "Carne fresca, procura-se", grande filme dinamarquês ou o "Sabor da Melancia", filme de Taiwan que levou algumas pessoas a saírem da sala por causa de algumas cenas. Lembro-me de um road movie Belga com 2 agricultores em cadeira de rodas a caminho da fábrica de tractores que lhes causou a deficiência, um filme de comédia negra. Vou ter saudades de ver filmes de autor nestas salas.
Já tinha lido que qualquer dia para vermos cinema alternativo só nos festivais que vão correndo no São Jorge e outros. O resto fica para os filmes da Marvel 3D.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Andar quando há greve.


Hoje que tinha uma formação de manhã e precisava do Metro, houve greve até às 10 horas da manhã. Pus-me a andar e fiz as avenidas todas até ao Campo Pequeno vindo do Terreiro do Paço. 1 hora a andar que se fez muito bem. 
Sei que as greves são sempre motivo para desagrado de uns e apoio de outros, mas mexe sempre com todos. "Mexe" é a palavra certa, porque faz logo diferença ver tantas pessoas a andarem a pé nas ruas. "Mexe" com a nossa condição física, "mexe" com a rotina diária. 
Hoje por exemplo pude ver a nova loja da Cartier e outras na Avenida da Liberdade, descobri um hostel que fica perto do Marquez e que gostei de pesquisar na Net, pude ver obras que decorrem por todo o lado para construír hoteis e no fim soube bem o exercício. E poupei no bilhete do Metro.
Como se preparam novas greves, começam a nascer novas rotinas entre os utentes afectados. Mais complicado para quem leva o automóvel. Lisboa "mexe".

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

46º Encontro Urban Sketchers - Gare Marítima de Alcântara


No passado domingo 17, realizou-se mais um encontro de desenho dos Urban Sketchers. O objectivo era conhecer as Gares Marítimas de Alcântara e da Rocha Conde d'Óbidos. Edifícios que foram erguidos nos anos 40, projectos de Pardal Monteiro e que hoje em dia estão fechados.


Só pude ir ao encontro de manhã, em Alcântara e gostei da arquitectura, do Espaço e da vista sobre o Tejo. Os paineis do Almada Negreiros são lindíssimos e o espaço central impressiona até pelo eco.


Lamenta-se alguma degradação em algumas zonas e a não utilização do espaço. É um local que está apagado em Lisboa e apenas faz companhia aos contentores e gruas. Espero que a visibilidade desta iniciativa possa dar uma pequena ajuda a olharmos para este e outros casos que estão na mesma situação.


Desenhei um pedaço do edifício que apresenta umas janelas que gosto muito. O tempo esteve excelente e a troca de impressões ainda melhor.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Fiolhal, aldeia junto ao rios Tua e Douro.


Este desenho já tem uns bons anos e faz-me lembrar de algumas férias na aldeia da minha mãe. Junto ao rio Tua e ao rio Douro, a aldeia do Fiolhal vai sofrendo com a construção da futura barragem do Tua. Não se sabe se vai ser bom ou mau, mas irá mudar algo.

Não fazia muito desenhos, normalmente na hora da sesta, usava folhas soltas recicladas e lá fazia uns esboços para me divertir.

Tenho de lá voltar para ver as mudanças. Quando via as fotos, uma das coisas que dizia é que tudo mudava, a paisagem, as pessoas envelheciam, mas o rio Tua estava sempre na mesma. Agora até isso vai mudar com a albufeira da barragem.


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Exposição “O outro tempo das coisas”


No sábado passei pela Biblioteca Municipal do Barreiro e dei com uma exposição de peças de José Victor "Zévi", esculturas que misturam vários materiais sobre os temas Tempo e também sobre Bicicletas e Arte. 
Fiquei algum tempo a apreciar as peças e é extraordinário como o conjunto transforma tubagens, ventoinhas, mangueiras de chuveiro em coisas que se complementam, criam uma imagem engraçada e parecem fazer sentido. Gostei muito de uma peça intitulada "Tempo antigo" e passei para o meu diário-gráfico.

O cartaz da exposição: