segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Na véspera de Natal...


Na véspera de Natal fui trabalhar e saí pelas 16h. Saí a correr para passar ainda na Mercearia dos Açores, na rua da Madalena em Lisboa. O fecho normal da loja é pelas 19h, mas nesse dia fechava às 16h e eu não sabia. Cheguei à loja pelas 16h10, a porta já tinha a chave e duas mulheres ao balcão. Bati à porta e perguntei se era ainda possível comprar alguma coisa. Perguntaram se era rápido. Mostrei-lhes a lista feita com os produtos vistos na página da Net. Deixaram-me entrar. Uma delas correu pelas prateleiras a tirar os produtos. Outra ia fazendo os embrulhos. Nem 10 minutos estive lá e agradeci dezenas de vezes. Tenho de lá voltar para ver a loja. Só vi o balcão e o terminal de multibanco.
Saí carregado de sacos e ainda passei por outras lojas, mas nesta agradeço mesmo a amabilidade. Todos queremos saír mais cedo do trabalho e quem trabalha nas lojas também.
Apanhei o barco quase vazio de passageiros. Muitas pessoas de férias. Já tinha dado por isso no trânsito e no estacionamento que estava grátis neste dia. O jantar e a entrega de prendas correu bem e ainda surpreendi a família com raspadinhas para ver se haveria uma prenda mais generosa. Apenas um ganhou e foram 2 euros. Para o ano a ver se consigo comprar as últimas prendas uns dias antes do Natal.

Um Bom Ano Novo 2015 para todos!

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Atelier para crianças com a ilustradora Danuta Wojciechowska



No passado sábado estive com a minha filha num atelier para crianças com a ilustradora Danuta Wojciechowska, no Auditório Augusto Cabrita no Barreiro.
As horas passaram a correr com os miúdos nos desenhos e pinturas, de letras e animais. Gostaram de experimentar os marcadores, os pasteis (usei-os no desenho de cima) e colagem de papeis com pinturas e diferentes texturas.


Umas vezes mais distraídos, umas pequenas birras com os pais, mas um ambiente muito criativo e divertido. Perante a mesa que desenhei, a quantidade de material era tentadora para eu também experimentar umas colagens. Acho que as mães que assistiam sentiam o mesmo que eu.

Um Feliz Natal para todos! Desenhem as mesas com as iguarias desta Quadra.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Mais uma sala de espera


Quarta-feira, mais umas horas na sala de espera, mas no Hospital Garcia de Orta, em Almada. Mais uma ecografia, mais um CTG. O rapaz está em forma para continuar a crescer.
Enquanto esperava, a certa altura a sala encheu-se de grávidas em visita de estudo com os acompanhantes. Vinham do Centro de Saúde do Seixal e estavam a conhecer as instalações onde no futuro próximo irão ter bébé. Parecia uma excursão com algumas piadas, boa disposição e barrigas prontas a darem à luz nas próximas horas. De repente chamaram o grupo e tudo se levantou para entrarem no bloco de partos e restantes salas. Quem passava e via de repente uma dezena de grávidas de pé na entrada pensaria que o problema da natalidade em Portugal estaria resolvido. Depois ficou tudo mais calmo e apenas um casal mais velho à minha frente, ao lado da máquina das sandes e sumos. Continuando à espera.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Belas Vozes na Igreja de Alhos Vedros

Domingo, dia de chuva ao início da tarde. Fui à Igreja de S. Lourenço em Alhos Vedros para ouvir as vozes do coro Mediaevus Emsemble, do Grupo Coral Alius Vetus e do Grupo Coral do Montijo, no âmbito do encerramento das comemorações dos 500 anos do Foral Manuelino da localidade.


A Igreja é bonita e antiga, datando do final do século XIII com alterações nos séculos seguintes. Foram chegando e sentando as pessoas que escutaram os grupos corais, 2 deles vestidos a rigor para as comemorações de uma carta régia de 1514.


Admirável o canto a ecoar na nave da Igreja, a acústica e as canções medievais conforme estavam no programa. Claro que um dos meus objectivos era desenhar o ambiente que observava. Adorei este momento de cerca de uma hora, em que desenhei dois dos coros e o altar da Nª Senhora de Fátima.


É uma "massagem" para os sentidos auditivo e visual. O prazer que tirei a desenhar e a ouvir aquelas vozes límpidas. A audiência aplaudiu com muito agrado. Antes de saír tive a oportunidade de apreciar o presépio numa das capelinhas. Muito bonito. Jesus estava em falta, ainda está para nascer por estes dias.


No ano passado tive oportunidade de escutar um belo coro na Igreja da Nª Senhora do Rosário, Barreiro e este ano visitei o concelho vizinho. Pude ainda apreciar a apresentação de um livro na Capela da Misericórdia, que sendo mais pequena, não deixa de ser bonita. Uma bela tarde de calor humano em contraste com o frio e a chuva que abrandou ao final da tarde.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Outra perspectiva


Ontem na travessia do Tejo, experimentei um plano à "Nelson Paciência". A minha dificuldade começou pelo tamanho do personagem secundário (eu) em relação aos restantes. Aproveitei a animada conversa entre diversos estudantes universitários que falavam sobre as aulas e trabalhos. Deu muito gozo esta experiência. A repetir.

No dia anterior, gostei de ouvir a conversa entre 2 estudantes de informática, nos lugares atrás de mim. A certa altura um deles falou da fortuna que tem uma família chinesa que ele conhece, porque exploram uma fonte de àgua na aldeia deles. Uma maneira diferente de ganhar dinheiro num país que deve surpreender em muitos aspectos. Outras perspectivas.


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Arrepios de frio


No domingo passado estava num supermecado a fazer as compras e ao passar ao pé dos legumes e das comidas pré-cozinhadas senti um arrepio de frio. Aquele arrepio que me faz logo pensar em febre, dores de cabeça e corpo dorido. Esse pequeno sinal deixou-me logo cansado no final da tarde. Aquela sensação desagradável de que sabemos que aí vem uns dias de "molho". E o tempo que está tão bom. Céu azul.

Passei o feriado deitado a ver os filmes que davam na televisão. Tão pouca disposição para fazer as refeições. Devíamos poder hibernar como as lagartas ou os urso, um breve período de descanso para o corpo regenerar.

Hoje fui à farmácia e o Ilvicon está esgotado até janeiro. Anda tudo com os mesmo arrepios de frio. Que situação e logo nestas épocas festivas. Imaginemos um engripado ou engripada em pleno domingo no Colombo... O pessoal sai de lá com mais do que presentes e dores de cabeça. Sai uma gripe para 3 dias!