quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Chegou o dia da Inauguração



No passado sábado 15, foi inaugurada a exposição resultante do workshop de desenho "Diário-gráfico na Horta" realizado em 30 Abril. Os desenhos ficaram integrados em conjunto com algumas fotos em paineis onde se divide a temática da importância das hortas comunitárias, a apanha da ervilha e o colorido dos diversos legumes.


Em complemento da exposição, alguns dos meus cadernos estão expostos numa vitrine assim como alguns dos materiais usados pelos Urban Sketchers noutra vitrine. Gostei de ver o arranjo com os legumes num carrinho de mão exposto  junto aos paineis.


Alguns dos formandos apareceram para apreciar o conjunto dos desenhos e fotos, assim como as pessoas que diáriamente trabalham nas hortas e quiseram ver as suas parcelas vistas por outros olhares. Ainda tivémos o privilégio de assistir à apresentação do grupo de dançarinos "Os pacificadores" do Centro Social O Bom Samaritano, de Alhos Vedros, Moita, com passos de Semba e depois uma dança tradicional Angolana. Consegui fazer uns traços nesse momento. 


Mostrei no final o resultado e gostaram muito. Para quem estiver interessado há um workshop no próximo dia 29 de Outubro. Para aprender a dançar como eles. 




quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Exposição Diário Gráfico na Horta

Resultado do workshop Diário Gráfico na Horta, no passado dia 30 de Abril, a exposição irá abrir no próximo dia 15 de outubro pelas 18:00h, na Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira, com uma breve apresentação, beberete e momento de animação com atuação de um grupo de danças de Angola. Apareçam.


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Feira Quinhentista


Sábado fui conhecer a Feira Quinhentista de Coina. O foral da vila faz 500 anos e sempre uma oportunidade de recriar o ambiente histórico e ao mesmo tempo apresentar mais um evento que garanta uma boa distração para as populações. 
Sabia que a localidade teve importância histórica, mas fiquei a conhecer um pouco mais de uma terra que hoje conhecemos de passagem para quem vai ou vem do Barreiro.
Por ser o primeiro ano há sempre apontamentos para rectificar. O espaço da feira e o estacionamento são excelentes, mas falta um castelinho, tal como me dizia uma das tendeiras com quem falei e que havia feito a feira de Palmela na semana anterior. 
Fui de tarde e estava pouca gente e pouca animação, mas sei que são feiras que vivem mais dos visistantes à hora do jantar. Deu para assistir a uma luta de espadas. A minha filha estranhou aparecer uma mulher metida no grupo. Desenhei-a e ao Mestre. No fim mostrei-lhe e achou engraçada a observação da minha filha. "Lá em casa temos de nos defender". Mulher de Armas! Gostei e espero que seja melhor para o ano. Se fizerem.