quarta-feira, 26 de maio de 2010

É difícil falar de Sexo.

Uma professora de Mirandela ficou na boca de todos. Edições esgotadas da Playboy para ver como é uma professora por dentro. Comentários a favor e contra o seu afastamento, por causa do "alarme social" na localidade. A Câmara Municipal teve de actuar antes que houvesse uma revolução e ninguém fizesse mais nada que comentar sobre e lá se ia a produtividade no trabalho. E o respeito nas aulas de música.

Por mim, é sempre bom que haja assuntos destes que mexam com ideias e preconceitos. Para alguns é um abuso e para outros um caminho ainda longo para trilhar.
 
Ouvi também falar de uma entrevista do passado 15 de Maio, na revista do DN, em que o herdeiro ao trono português, Dom Duarte Pio, falava sobre os seus 65 anos de vida e da situação actual em Portugal. E eis que partiu a loiça nesta parte:

Convidado a falar sobre Educação e questionado sobre se «o país está mais preocupado com as causas fracturantes do que com a realidade?», o Duque não tem dúvidas.

«Claro! Tornar obrigatório o ensino da educação sexual resume-se a dizer: forniquem à vontade, divirtam-se, façam o que quiserem mas com higiene. Praticamente é só isso, em vez de dar referências éticas e morais em relação ao desenvolvimento de uma sexualidade saudável. Ao mesmo tempo, desencorajam-se as aulas de educação moral e estamos a dizer que a moral não tem importância, que só a sexualidade livre é fundamental para a felicidade dos portugueses».

Parece-me que se trata de uma opinão de uma pessoa que pensa que estará tudo perdido com a educação sexual. Que todo o mundo anda numa orgia selvagem e que ninguém liga a nada. Pelo contrário, quanto mais educação sexual houver, mas informação e consciência há para fazer sexo bom e seguro. Mas continua a ser complicado falar sobre estes assuntos. Podia ter escolhido uma expressão mais suave e não tão literária. Não gosto da expressão e não concordo com a posição dele. Penso que o Duque podia ter sido mais polido e assim só mostrou que fecha os olhos ao assunto.




Quanto mais silenciado, mais embaraço há. Mais desinformação e falta de educação na prática do sexo. Mais revistas se vendem pelo voyerismo de um assunto que todos pensam, mas poucos falam. A professora já pede 2 mil euros por entrevista. Um assunto banal que por ser tabu, vale dinheiro.

Também recentemente, a realizadora Raquel Freire na sua crónica na Antena 1, falou sobre masturbação feminina e viu o assunto ser levado ao provedor do ouvinte, por se tratar de um assunto complicado de ser falado às 09h45 da manhã e haver algumas sensibilidades. Respeito as pessoas que se sentem embaraçadas, mas acho que quando se tentam quebrar barreiras e se procura que haja informação, ela deva ser dada como serviço público nos meios de comunicação e nas escolas.

Gosto de ouvir a crónica sobre Sexualidades do Júlio Machado Vaz e da Inês Meneses aos domingos de manhã na mesma rádio e calculo que também haja embaraços entre alguns ouvintes, mas trata-se de informação bem dada e pedagógica.
A Sexualidade faz parte da vida das pessoas. Devemos falar dela, construtivamente para evitar "alarme social".

Imagens do pintor Búlgaro Peter Mitchev, retiradas daqui.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

"Lost" acaba a 24, mas aqui será em 2013

Pois é, a sexta temporada da série mais estranha de sempre termina na madrugada do próximo dia 24 de Maio. Não sendo aficionado, apenas porque nunca consegui ver 2 episódios seguidos, gostava de saber como os argumentistas irão dar todas as explicações às questões levantadas desde o início. Quanto a mim, o mistério ficará no ar e cada um decidirá sobre o caso.



Vem isto a propósito da situação que estamos a viver em Portugal e no resto da União Europeia. Para mim, acho que os governos estão na Europa como os personagens da série naquela ilha. Há sempre um buraco a descobrir, histórias que vão aparecendo e o dia-a-dia é de sobrevivência.

Na semana passada, as medidas do plano de austeridade ficavam para 2011, depois começavam já, mas por um ano e meio e agora passam a entrar a 1 de Junho e será até 2013. Andam todos "Perdidos".
Quer me parecer que haverá uma corrida aos subsídios de férias antecipados antes que levem um corte de 1% ou de 1,5%.
Somos todos personagens nesta ilha "Europa" sem sabermos de que lado caímos quando o grande avião "Crise Financeira" se despenhou.

Vai uma aposta em como os tipos caíram na ilha por causa de uma nuvem de cinza vulcânica...

Foto daqui.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Mudei o cabeçalho da Livraria

Resolvi dar um toque pessoal ao site da Livraria d'Abalada. Fiz uma aguarela sobre o tema das viagens. Por vezes é difícil fixar num papel uma sensação, uma memória que me transporte para as viagens.


A aguarela foi desenvolvida a partir de uma imagem de Marrocos. É realmente uma terra bonita de ver e uma cultura que mexe com alguns. Gostei das côres e acaba por ser também um treino para a pintura em aguarela, de que gosto muito.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

"Este país é um colosso..."

Em 1983 era um miúdo, mas lembro-me da canção do casal de bêbados, Agostinho e Agostinha, com os actores Camilo de Oliveira e Ivone Silva, no programa "Sabadabadu".



Vem a propósito da notícia de hoje sobre o aumento geral de impostos.
Em termos de situação económica voltámos no tempo.
Como na crise de 1983, o pessoal volta a apertar o cinto.
Este país perdeu o tino, a armar ao fino...

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Ainda mais um desenho

Mais um desenho do encontro do 1º de Maio, no quiosque de refresco, ao Camões. Coloquei o antes e o depois. Ainda tenho de trabalhar muito nas côres.


sexta-feira, 7 de maio de 2010

Esta noite houve Teatro

Esta noite estreou mais uma peça do Grupo de Teatro do Instituto Superior Técnico (GTIST) e também abriu mais uma edição do Festival de Teatro Universitário da Universidade de Lisboa (FATAL). Teatro do bom!

A peça chama-se "Intervalo para dançar" e estou curioso para a ver. O meu irmão, que participa nela, tem-me falado da evolução da ideia a partir do livro de Fernando Pessoa. Espero que esteja ao nivel das últimas peças que o grupo tem apresentado e que já lhes valeu o grande prémio FATAL em 2006.
Tenho gostado de algumas representações que exigem um esforço da nossa imaginação, mas que visualmente  me deslumbram. O cartaz é este:

Sinopse:
"Inspirada no "Livro do Desassossego" de Fernando Pessoa, esta é uma obra incerta por génese e natureza. Resulta de uma construção póstuma e, por isso, eternamente inacabada. Vagueia entre o escritor em nome próprio e os seus heterónimos. Divaga entre o real e o sonhado.

A dramaturgia assenta na estrutura fragmentária do L. do D. e, tal como este, deixar-se-á confirmar pelo desejo dos espectadores em construí-la sentindo. Um espectáculo para se intervalar, dançando."



Links:
FATAL - http://fatal2010.ul.pt/
GTIST - http://teatro.ist.utl.pt/  e no Facebook.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Desenhos no Quiosque

O encontro de sábado superou as expectativas. Uma excelente tarde de sol e um bom ambiente para captar no papel. O grupo dos Usk Portugal voltou a reunir-se a convite dos Quiosques dos refrescos e do seu primeiro aniversário.


Apanharam-me na foto enquanto desenhava a imagem de cima. Soube-me muito bem aquela horinha, ali sentado com um copo de vinho branco e depois uma limonada, oferta do quiosque. Ao lado, mais um desenhador, o Duarte.


No fim, a troca de impressões e comentários sobre os diversos desenhos, acompanhados de queijadinhas de Sintra.
Foi bom reconhecer algumas caras e associar a alguns dos nomes que conheço dos Urban Sketchers Portugal. Em especial, a simpatia das manas do Pano pra Mangas.


Fotos daqui e daqui
Mais desenhos meus no Flickr.