Andar quando há greve.


Hoje que tinha uma formação de manhã e precisava do Metro, houve greve até às 10 horas da manhã. Pus-me a andar e fiz as avenidas todas até ao Campo Pequeno vindo do Terreiro do Paço. 1 hora a andar que se fez muito bem. 
Sei que as greves são sempre motivo para desagrado de uns e apoio de outros, mas mexe sempre com todos. "Mexe" é a palavra certa, porque faz logo diferença ver tantas pessoas a andarem a pé nas ruas. "Mexe" com a nossa condição física, "mexe" com a rotina diária. 
Hoje por exemplo pude ver a nova loja da Cartier e outras na Avenida da Liberdade, descobri um hostel que fica perto do Marquez e que gostei de pesquisar na Net, pude ver obras que decorrem por todo o lado para construír hoteis e no fim soube bem o exercício. E poupei no bilhete do Metro.
Como se preparam novas greves, começam a nascer novas rotinas entre os utentes afectados. Mais complicado para quem leva o automóvel. Lisboa "mexe".

Comentários

hfm disse…
Já tinha saudades de ver estes desenhos do barco. Foi com eles que te conheci. Um abraço.
Henrique Vogado disse…
Obrigado Helena, embora o ambiente no barco seja muito parecido diáriamente comecei a desafiar-me a alterar a realidade, brincar com as perspectivas, caricaturar. Enfim, um novo mundo se abre no desenho diário.
Um abraço.
JASG disse…
O ambiente pode ser parecido, mas não devem faltar diferentes personagens. E também alguns modelos repetentes que se encontram também, e.g., no café.