Escondidinho em Lisboa II


Mais um recanto de Lisboa. De tal maneiro escondido que nem o sol aquece aquelas paredes e a humidade deixa as suas marcas por todo o lado. O tapume do pátio que dá para a Calçada de Santo António está a descascar todo o revestimento verde e deixa ver o metal que assim fica desprotegido pelo clima mais severo.
Um pequeno arbusto espreita pela janela e lá em cima um anexo surge meio envergonhado por detrás da chaminé.
Neste dia cinzento e de frio, aguentei melhor a temperatura e encostado a um muro, pude fazer o desenho mais confortável. Algumas pessoas passaram por mim espreitando para ver o "funcionário da Câmara" a tomar notas.

Comentários

Miú disse…
Gosto imenso dos diversos níveis deste desenho, tal como do anterior. Muito bonitos. Ainda bem que "descobriste" estas coisas escondidas do olhar desatento!
teresa ruivo disse…
Muito giro Henrique!