Missa num final de tarde


Na passada sexta saí do trabalho e vinha a descer a Rua dos Fanqueiros, quando vi a porta aberta da Igreja da Madalena. Fui até lá espreitar e havia missa. Entrei e reparei que o padre discursava perante uma audiência de 3 pessoas. Estive a observar o tecto, as imagens e um senhor convidou-me a sentar. Agradeci, mas continuei de pé e aproveitei para desenhar um pouco. Estive uns 10m a passar o ambiente para o papel sempre com o olhar de um dos presentes. Duas senhoras no banco da frente e um senhor cá mais atrás era a assistência possível a uma sexta-feira pelas 18h30.
Deve haver alguma dificuldade na Igreja em cativar mais assistência. Da minha parte gosto da calma que me permite limpar a cabeça de ideias, sem o ruído da rua. 
Difícil é desenhar sem levantar suspeitas de estar a fazer algum inventário para algum roubo. Procuro ser discreto, não desrespeitar o lugar e dar confiança a quem tenta proteger estes espaços. Saí debaixo de chuva e com este momento guardado no diário-gráfico.

Comentários

JASG disse…
Exacto. Há um silêncio e uma calma nas igrejas que convidam a parar para pensar, à introspecção, que eu também aprecio para fugir ao bulício.