Dar informações a turistas!


Já me tem acontecido algumas vezes nas ruas de Lisboa. Não sei se é a minha aparência ou a minha atitute, mas muitos turistas vêm ter comigo a pedir informações. Sei que quando estamos em sítios estranhos procuramos caras vagamente familiares ou de alguma confiança e
pedimos informações. Não me aborreço nada com estas questões e acabo por me sentir bem por ter ajudado alguém numa cidade que eu adoro.
Noto que Lisboa, recebe cada vez mais turistas e durante todo o ano. Não é estranho ir no metro e ouvir falar inglês, francês, italiano ou alemão. Também alguns espanhois.

Há umas semanas atrás, entrava no metro da linha azul e uma senhora francesa de meia-idade olhou para mim e pergunta-me como deveria ir para o Rossio. A grande dúvida dela eram as cores das linhas. Expliquei-lhe e lá foi sempre a olhar para o nome das estações.

Outro caso semelhante foi com um português, que pelo sotaque seria minhoto (adoro aquele sotaque!) me perguntava se entrando no Terreiro do Paço iria conseguir chegar ao Jardim Zoológico. Disse-lhe que sim. Ele, mais satisfeito, agradeceu e disse que estava a preparar a volta para o dia seguinte. Que gostava de andar
prevenido e que já fazia muitos anos que não ia lá.

Eu que me oriento muito bem em Lisboa, por ruas e bairros, tive um desafio há uns tempos atrás com a pergunta de uma senhora espanhola que me perguntou do nome da avenida que fica de frente aos Jerónimos e passa pelo CCB. Boa pergunta! Penso que pouca gente deverá saber, pois todos usamos os pontos de referência para explicar aos turistas e não pelo nome das ruas. Qual é mesmo o nome da avenida?

Uma vez tentei explicar a 2 italianos que apenas falavam a própria língua, sobre locais de diversão noturna em Lisboa. Imaginam o meu esforço... e em italianês!!
Um serviço excelente em Lisboa são os guias turísticos da Lisbonwalker. Boa pesquisa, caminhadas e passeios pelos bairros e pela história da cidade. Acho que isto é serviço público e uma mais-valia para esta cidade. Que a ideia contamine as cabeças de pessoas interessadas nas várias cidades portuguesas ricas em história e beleza.

Comentários

AnaMaria disse…
A barba...é a barba que dá esse "ar" de respeito.
Na maior parte do mundo os homens mais religiosos e mais ditadores têm bigode ou barba. Não é uma critica é uma contestação.
Entendes agora porque confiam mais em ti?
Claro que um sem abrigo também tem barba mas...costuma ter menos higiene.
Gosto do te blog