Crise também na Pornografia

De acordo com a notícia do Expresso, "dois dos dos reis da indústria pornografia norte-americana, incluindo o fundador da revista Hustler Larry Flynt, pediram hoje um apoio de cinco mil milhões de dólares para a indústria.Larry Flynt, fundador da revista Hustler, juntou-se a Joe Francis, 'pai' da série de filmes "Girls Gone Wild", para escreverem ao Congresso norte-americano a pedirem um plano de resgate similar ao desejado pelas três maiores empresas da indústria automóvel dos Estados Unidos. Segundo estes dois empresários, a justificação deste pedido está no facto de a pornografia representar um volume de negócios anual de 13 mil milhões de dólares (cerca de 9,5 mil milhões de euros) nos Estados Unidos."Acrescentou ainda que "as pessoas estão demasiado deprimidas para serem sexualmente activas" e que "É muito mau para a saúde do país. Os americanos podem ficar sem carros mas não sem sexo"

Os homens andam com os pensamentos na crise, no emprego, na subida do petróleo e não conseguem pensar em sexo. Este fenómeno já se está a reflectir numa indústria que nunca teve problemas. Pode levar um abanão, mas dificilmente poderá suspender como a indústria automóvel. Em Outubro passado, o grupo norte-americano Playboy anunciava o despedimento de 55 pessoas e a eliminação de 25 vagas. A notícia surgia na TSF e acrescentava uma perda de 2,1 milhões de dólares no segundo trimestre de 2008.

Comentários