Enviei para o passatempo do Fugas...

"Acordar com frio no deserto... Havia começado na noite anterior com uma subida a uma enorme duna e a dureza de trepar enquanto se enterravam os pés na areia. Uma tagine de grupo ao jantar, apenas com uma fatia de pão como talher e uma conversa de horas sob um céu que aqui não se vê, enrolado em mantas.
Tanto frio! A sensação de acordar, a sentir a cabeça fria com uma almofada de areia... Num nascer do sol em pleno deserto marroquino, o que nos passa pela cabeça? É um lugar vazio, apenas areia e o céu. Uns pensam sobre a vida, lugar esotérico para análise de pensamentos. Outros pela felicidade de presenciarem um belo cenário que normalmente apenas vemos por outras lentes que não os nossos olhos. Não cheira a nada, corre uma brisa, aponta-se o olhar para leste.

O céu começa a ficar laranja, juntamos-nos mais para nos mantermos quentes e algumas palavras vão-se ouvindo de cada um de nós. Começam por ser sobre a temperatura, depois sobre a beleza do céu e depois... não há mais palavras. Procuro a máquina, registo o momento para mostrar a outros que não estão lá, porque os que estão, gravam este belo momento na memória das coisas boas. Quando o sol aparece, o calor começa a aquecer partes do corpo que ainda estão frias e dormentes. A sensação de conforto começa a percorrer todo o corpo. O sol já vai no alto e o meu pensamento vai para um chá de hortelã bem quente e bem doce para reconfortar o estômago. Enquanto percorro o caminho até acampamento revejo todo o filme da noite e do amanhecer. A foto apenas verei na volta, conserva-se na rolo á espera que a reveja e possa contar este momento a outros.
Já assisti a belos pôr-do-sol na praia e no campo, a alguns momentos de nascer do sol, especialmente das saídas que duravam até de manhã, mas este ficou na minha memória como um dos mais belos.
Pelo deserto, pela companhia com quem dividi o meu lugar num 4x4 durante uma semana e pela experiência que foi conhecer um país que aqui tão perto de nós, é tão diferente."

Comentários