Kindle e Readius vão ser as nossas estantes?

Na Feira de Frankfurt, que decorre por estes dias, discute-se o futuro do livro. Li no Público que o futuro passa pelo livro em formato digital. Foi apresentado mais um gadget para a leitura de textos que também é um telemóvel, o Readius. Mais uma tentativa para cativar leitores. A possibilidade de andarmos com centenas de livros na mão e lermos em qualquer lado é aliciante, mas será agradável estar sempre a carregar as baterias, para continuarmos a ler? Mas também é um enorme alívio para milhares de árvores que são abatidas para imprimir livros em papel. Quando temos centenas de livros em casa a encher de pó e que provavelmente não iremos ler mais, não pensamos que são milhares de folhas que serviram apenas uma vez. Claro que podemos emprestar ou trocar o livro com alguém e de novo o objectivo da leitura volta ao livro. Fala-se que dentro de 10 anos, haja mais livros em formato digital. O Kindle está aí a conquistar adeptos. Faz-se downloads de dezenas de livros e ficam mais baratos a quem os compra. Não pagamos o material, apenas o conhecimento transmitido pelo escritor. Perde-se o hábito de folhear os livros novos, sentir o peso e o cheiro das páginas. Questões que se colocam: Como pedir um autógrafo a um escritor de um livro digital? Quando temos convidados em casa e andam a perscrutar os nossos livros, passamos a ter de os mostrar em lista num ecran?

Como tudo o que é tecnologia acabaremos por nos adaptar e criar novos hábitos. Quem há uns anos pensaria que estaríamos a enviar mensagens escritas por um telemóvel...
Provavelmente o futuro será o de carregar livros em formato digital para um Kindle 5.0 ou um Readius 7.2 e depois esse livro será lido em voz de máquina para podermos continuar a "ouvir" o livro enquanto mandamos mensagens aos amigos ou jogamos on-line. Poderemos assim ir a conduzir em viagens longas e a ouvir um livro à nossa escolha, ou as notícias de um jornal.



Recomendo a leitura do blog Ciberescritas da jornalista Isabel Coutinho sobre este assunto.

Comentários