Pamplona

Pamplona. Esta semana são as famosas festas de San Fermin. Festas tradicionais, mas que se tornaram ainda mais famosas mundialmente com a publicação da excelente obra de Ernest Hemingway "O Sol nasce sempre (Fiesta)" em 1926. No livro, o cenário da festa serve como clímax de todo a história, mas são as corridas que entusiasmam milhares de turistas a andarem e muitos a correrem por esses dias de euforia e risco.
Todos os anos, contam-se dezenas de feridos e por vezes algumas mortes. A maior parte das vezes de jovens europeus ou americanos que querem colocar esse feito no seu currículo rebelde. "Agora posso ser um contabilista sedentário, mas na minha juventude corria à frente dos touros em Pamplona".

Desde 2002, a PETA e outras associações de defesa dos animais têm marcado presença nas festas. Protestam com marchas de pessoas em tronco nu para chamarem a atenção do mundo para a crueldade da festa.
Com o passar dos anos, esta marchas tem tomado força e hoje já rivaliza com as de San Fermin em popularidade. De um lado uma corrida que promove a virilidade e a loucura e de outro, uma marcha que promove um ambiente mais saudável, com muitos homens e mulheres a mostrarem a sua belíssima "saúde".
http://www.runningofthenudes.com/
Até quando irão continuar a fazer estas festas? Pelo menos enquanto houver touros...
O pior é que se não precisarem mais dos animais se um dia acabarem com as touradas. O touro passa a raça em vias de extinção?

Até lá aconselho um jogo que entusiasma da mesma maneira, a correr à frente do touro (http://www.miniclip.com/games/extreme-pamplona/en/) ou então vamos todos despir-nos por uma boa causa e divertirmos-nos com a festa em honra desse nobre animal.

Comentários