Somos todos escritores?

No expresso deste sábado, saiu uma notícia sobre uma nova editora, Caminho das Águas, que colocou um anúncio à procura de pessoas que queiram editar os seus escritos, utilizando duas formas de contrato. Pagando 5 a 10% ao autor para tiragens entre 500 e 1000 exemplares ou propondo a participação do autor nos custos para tiragens superiores a 1000. Uma oportunidade para futuros escritores.
Hoje em dia, escreve-se mais que antes? Somos todos escritores em potência?
Bem, pelo número de blogues que surgem de pessoas com vontade de escrever, penso que todos temos alguma coisa a dizer e a passar para o papel.
Não penso que isto seja o sinal de que hoje a literatura é mais ligeira e que o nível seja tão baixo que qualquer um publique. Há que analisar outro aspecto. Quem pretende escrever bem, tem de ler muito, procurar estar informado, participar na discussão de assuntos, enfim, criar opiniões sobre o que se passa à nossa volta. Não vejo que seja o caso de todos querermos ser grandes escritores, mas simplesmente surgir alguma qualidade no meio da quantidade e esses são os que ficam.
Se criticarmos o facto de saírem todos os dias imensos livros para venda, o mercado fará a sua selecção. Os livros ligeiros também são necessários. E se formos a pensar, existem tantos livros editados desde sempre que poderíamos parar de escrever e editar. O futuro podia ser feito de livros do passado. Nenhum de nós irá ler todos os livros que deseja.
Mas, é uma oportunidade para alguns que até agora tinham que suportar os custos de uma edição de autor. A literatura e poesia ligeira não são só para os famosos da TV que agora escrevem. Todos podemos escrever e importa mostrar aqueles que podem ter um potencial. Escrevam...

Comentários